segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Saudade em desdita de amor ( Poetizando e Encantando )


56ª EDIÇÃO DO POETIZANDO E ENCANTANDO


Poetizando o amor em poemas de fino versejar
Eleva-se a alma como verso de sentida doçura
Soltam-se os sorrisos, deixando o coração amar
Na troca dos uns beijos dados em doce ternura


Encostada à varanda, a mulher olhando buscava
Os devaneios que por amor velava na sua mente
Olhos aguados quando o seu coração recordava
Os beijos oferecidos por uma paixão comovente
*
Por um efémero amor que alagou o seu coração
Que a fez acreditar que era o melhor do mundo
Recordando os temores que a sua louca paixão
Se extinguiu na fria água, de um lago profundo
*
Lágrimas de melancolia dos carinhos de outrora
Fazendo o seu coração chorar como chora agora
Pelas vis vicissitudes dessa nostalgia que requer
*
Que a felicidade retome pelas desditas do amor
Em que a saudade não tenha imagem, nem cor
Que tanto faz sofrer, o coração de uma mulher


É com todo o gosto, que me associo, e respondo, ao convite formalizado no blogue filosofando e encantado, da ilustre profª Lourdes Duarte, que pode (e deve) visitar ... AQUI ... oferecendo a minha modesta participação poética.

*** 
autor: gil antónio
*

domingo, 14 de outubro de 2018

Apenas pelo teu amor



Pelo teu amor viajei pelo imaginário
Fotografei os alicerces do tempo
Arranquei as pétalas do vento
Enchi o peito do perfume da chuva
Enfrentei a tormenta e o sentimento
Fui arco-iris, em linha recta, sem cor,
Apenas pelo teu amor

*
Deambulei pela fantasia dos versos
Troquei o sentido das palavras
Saciei a sede nas fontes da poesia
Caminhei pela solidão da noite fria
Limpei as lágrimas, senti o seu amargor
Escolhi os caminhos vadios, isolados
Apenas pelo teu amor

*
Rodopiei pelas veredas do utópico
Quis encontrar-te entre a pureza das águas
Onde afogasse as minhas dores e mágoas
Olhei as minhas mãos que enrugadas
Enfrentei a chuva quando no seu esplendor
Como se fossem pingos da ventania
Apenas pelo teu amor

 *
Vi que a noite tem a serenidade da voz
Que baixinho me disse que entre nós
Existem fogueiras em lume feroz
Onde os sorrisos são luz sem cor
No imaginário que ofusca a escuridão
Nem há luz, nem brilho, nem paixão
Apenas porque não me tens amor

***
Autor: gil antónio
*

sábado, 13 de outubro de 2018

" Mélicos tormentos "

 🌼
Numa doce, e tão realista quimera
Inundada de flores de primavera
Conto as pétalas, alvas, enquanto sonho
Como quem sente a firmeza
De uma eterna convicção
De vir a ser então por gentileza
A Deusa do teu jardim de inspiração,
Sinto no aveludado das folhas
Partículas do carinho, que não confessas
Mas que nos meus sonhos entra.
.
És a pureza do meu eterno pensamento
Quando nos meus sonhos mais profundos
São mélicos, os meus tormentos,
Por isso meu amor, não me impeças
De poder continuar com este sonho,
Em cada pétala peço um desejo
Num sorriso envergonhado, que não vês
Quando conto as horas em segundos
E acordo na fantasia do teu beijo
Mas sobrevivo aos devaneios, outra vez!

 💖
🌼Autora: Larissa Santos 

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Amor em frio embaraço


Caminho sozinho. Vejo as ruas escuras
Onde a clareza se nega a viver e entrar
Folhas esvoaçando, jardins em securas
Onde vive a esperança de te encontrar
*
Perco-me nos horizontes da esperança
Na destreza dos meus passos cansados
Viajo pela curvatura da flor que dança
Perante os meus tristes olhos molhados
*
Sinto como o meu coração te imagina
Quando em cada lugar, e cada esquina
Penso que te beijo, ternura, embaraço
*
Ilusório feitiço dos meus frios segredos
Deixando a negação dos meus enredos
Na inflamada melancolia do teu abraço

***
Autor: gil antónio

*

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Meditação da alma


Da minha janela mirava como nascia o dia
Como as folhas caíam, desamparadamente
Como o vento agreste levava toda a magia
Que a natureza nos oferecia anteriormente
.
Havia colhido algumas flores do meu jardim
Antes que o vento as guiasse, noutro destino
Ainda que as tenha guardadas para outro fim
Olha-las-ei sempre, do mesmo modo obstino
.
E neste espaço, que outrora  havia escolhido
Para a meditação da minha alma, já cansada
De um tempo deprimente e muito ressequido
Dei por mim, meditando, por quem desejava

👀

🍂Autora: Larissa Santos

O teu odor de Galanteador

🍂
Brilhantismo, festa, felicidade plena
O meu coração disparava
O meu olhar observava em redor
Num silêncio absoluto e sereno,
Apenas por ti, eu esperava
Num frenesim qual deusa apaixonada,
Salão vazio mas reservado
A um só momento, tão nosso
De momento entoava a musica de fundo
Era a alegria transbordando
No meu coração cheio de amor
🔼🔽
E o meu pensamento rodopiando
Mas, entre a espera e a emoção
Geravam-se sentimentos genuínos
Na minha alma, pura e comovida,
Imaginava, o teu olhar robusto, sedutor
Mirando meu corpo em exuberância
Deixando-me numa insana vibração,
Silenciavam-se todos os ruídos
Eras tu, que entravas com a elegância
Me olhavas em sentimento profundo
E me conquistavas com teu odor de galanteado.

💗

🌻Autora: Larissa Santos

domingo, 7 de outubro de 2018

Amor em enleado labirinto.



Esse teu sorriso enleador, doce segredo
Teus lábios puros, tentadores e macios
Teus beijos húmidos são meu degredo
Na envolvência dos teus seios esguios
*
Cruzados os labirintos de enleados fios
Clareados na luz dos escuros enredos
Marés vazias, margens de secantes rios
Onde inspiro o aroma dos meus medos
*
Areal corroído pelas águas que ao partir
Destroem os castelos formados na areia
Choram os olhos que não sabem sorrir
*
Olha-se o além como se visse o bastante
Na indiferença das escolhas frias e feias
Vive o nosso amor num ardor constante

***
Autor: gil antónio

*

sábado, 6 de outubro de 2018

Amor Fogueado em Chama


Encanta-me o teu olhar, o gosto do teu carinho
As tuas faces ruborizadas, tua ternura, fantasia
Teu sorriso que me indica a direcção, caminho
Na frescura poética e embaraços da tua alegria
*
Em ti vive este meu amor fogueado em chama
Que arde nas entranhas do sonho de fino lume
Fogo em quente magia que meu coração clama
Irresistível ao aroma inebriante do teu perfume
*
Noite solitária, afectos vadios, olhos chorando
Lágrimas frias de um arejado ar que chegando
Entra em meu quarto de sentimento iluminado
*
Sinto teu amor a chegar, que feliz e ternamente
Vem acalmar o meu sentimento, tão docemente
Arejando o teu olhar o meu coração apaixonado

***
Autor: gil antónio
*

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Poesia sem sonhos

🍁
Entre salpicos e nevoeiros da límpida cascata
Onde bailam os ramos das folhas, já cansadas
As pedras, no fundo  das águas, estão limadas
Pelos momentos passados por ali em serenata
.
Sentem-se as águas agitadas e num só sentido
Observam-se, e fazem-se as grandes reflexões
Lugar libertador, espaço vazio, e nas emoções
Ficam as marcas, agitado momento escondido
.
A força das águas levam as palavras por dizer
As folhas caem, é como a poesia sem sonhos
Inspirações momentâneas, dos rostos risonhos
Existindo sempre as tristezas para contradizer.

 💛
🍁Autora: Larissa Santos.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Olhando o mar em silêncios de amor ( Poetizando e Encantando)

55ª EDIÇÃO DO POETIZANDO E ENCANTANDO


Solta-se o imaginário em poemas de rara beleza
Deixando o imaginário pelos versos vagueando
Quando poetizar forma quadras e mélica certeza
Que estamos aqui, no Poetizando e Encantando


Sozinha, deitada na sua rede, olhava o mar indefinido
Manhã primaveril, sereno vento, ondas lentas, suaves
Balançando, olhando o mar, com um olhar comovido
Deixava fluir os pensamentos, ouvia o canto das aves
*
Céu azul, meigas ondas, barcos em viagem, aventura
Imensidão, apáticas serenidades, sussurros das águas
Quentes areais, silêncios decifráveis, odes de ternura
Reflexões sentidas, amores recordados, ocas mágoas
*
Curtindo o lindo lugar, uma jovem feliz, deslumbrada
Olha a orla marítima, que ali a acompanha desnudada
De preconceito, de oca chama, da solidão comovente
*
Uma praia deserta, doce paisagem de fé, suave vento
Uma cálida brisa, chega do além, como voz de alento
Trazendo a doçura de um beijo do seu amado ausente

*

É com todo o gosto, que me associo, e respondo, ao convite formalizado no blogue filosofando e encantado, da ilustre profª Lourdes Duarte, que pode (e deve) visitar ... AQUI ... oferecendo a minha modesta participação poética.

***
autor: gil antónio

**