quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Incêndios:- famílias desfeitas, num sentimento de eterna saudade



Serras, jardins, a minha doce terra
Cativantes rios, verdes paisagens
Entoam as aves, canta o rouxinol
Bruma de amor, a manhã encanta
Onde cedo a alvorada se levanta
Aclarada pelo brilho da luz do Sol
.
Arvoredos, paisagens encantadoras
Orgulho de gente feliz, maravilhosa
Serras de amor, delicias encantadas
Mãos cruéis, diabólicas, matadoras
Espalham o terror, viram criminosas
Deixam morte em matas queimadas
.
Como podem dormir, mentes sovinas
Enquanto choram famílias desfeitas
Num sentimento de eterna saudade
Quando as suas mãos vis, assassinas
Ateiam o fogo, matam, e satisfeitas
Ficam impunes sobre a sua maldade
.
Olho as serras outrora emolduradas
De verdura, onde as aves cantavam
Hoje destruídas, de água,  sedentas
Exibindo desolação, por queimadas
As aves já não cantam, por cansadas
Das mãos dos homens, tão violentas
.
Autor: gil antónio
.

61 comentários:

  1. Triste fato tão bem expresso na tua poesia! abraços, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia minha boa amiga

      É triste mas infelizmente uma verdade nua e crua

      Abraço

      Eliminar
  2. Uma realidade demasiado triste, aqui poerisada e muito bem descrita.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia minha amiga

      É mesmo. Grato pela visita
      Abraço

      Eliminar
  3. Uma triste realidade que já mais pensei ver neste país...


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Isa Sá

      Por vezes ainda somos surpreendidos por estas e outras facetas da vida em sociedade.

      Cumprimentos

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Bom dia amigo Francisco

      Obrigado. Aquele abraço

      Eliminar
  5. Não existe melhor descrição que a tua. Parabéns pela tua sensibilidade poética!!!! AMEI.

    Beijo e um dia feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Cidália Ferreira

      Grato pelo teu carinho.
      Retribuo os votos de um dia feliz e duplico o beijo

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Bom dia amiga Marta Moura

      Grato pela presença e comentário
      Um dia feliz.

      Eliminar
  7. Bom dia, Querido Gil. Mais um poema de nos deixar de coração " apaixonado". Quanta sensibilidade. Ninguém fica indiferente a passado recente que nos marcou. Parabéns.

    Bjos
    Feliz Quarta-Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia minha querida amiga, Larissa Santos
      São os teus olhos exagerados, lool
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Bom dia Paula Silva

      Sempre amável e carinhosa
      Beijinhos

      Eliminar
  9. Bom dia amigo!
    Lindo poema e muito triste pensar nessa tragédia.
    A realidade choca e não podemos deixar que fique impune os culpados.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Márcia

      Totalmente de acordo com a questão de não poderem ficar os culpados impunes. Mas será que não ficam?

      Abraço

      Eliminar
  10. Poema Sublime que me deixou sem palavras!
    LINDO.

    Um sussurro, Gil

    ResponderEliminar
  11. Apesar da tristeza que nos assalta, é preciso crer que as coisas morrem para renascer, e que nada se torna em nada.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Impontal

      As coisas sim. Morrem para renascer. As vidas não. Morrem e...sobem ao Céu

      Abraço

      Eliminar
  12. Muito triste ver esses incêndios acabando com a natureza e deixando famílias desamparadas.
    Infelizmente o ser humano não dá a devida atenção com a natureza e por essa falta,os incêndios acontecem.
    Muito triste Gil,mas você descreveu lindamente em seu poetar o quanto foi sofredor o que aconteceu.
    Bjs,obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Carmen Lúcia

      Sim, muito triste mesmo.

      Beijinhos

      Eliminar
  13. Uma triste realidade que a poesia tão bem retratou!
    gosto do som!!!bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde " Os olhares da Gracinha"

      Sem dúvida. Uma realidade que não devia ter existido, pelo mesmos aquela realidade que, dizem, teve origem na mão criminosa do Homem.

      Beijinhos

      Eliminar
  14. Uma descrição soberba. Triste realidade que jamais esqueceremos.

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde caro Bernardo

      Enquanto existirem negócios menos claros por trás dos incêndios- aluguer de aeronaves, por exemplo - os incêndios serão uma triste realidade

      Abraço

      Eliminar
  15. Olá, Gil!
    A impiedade tomou conta do coração de muitos seres humanos e a gente sofre por compaixão de ver tanta tragédia.
    Poetar sobre certos tema é se unir e palavras versadas a quem tanto sofre pelo mundo todo.
    Seja muito feliz e abençoado!
    Abraço fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Rosélia Bezerra

      Concordo na íntegra com a sua opinião. Apetece perguntar: Até quando?

      Retribuo o abraço fraterno de Paz e bem.

      Eliminar
  16. Respostas
    1. Olá amiga Filipa Benfiquista

      Abençoada essa tua palavra

      Beijinhos

      Eliminar
  17. Triste, sofrimento e dor,
    ao tentarem fugir da morte
    famílias inteiras sem sorte
    foram engolidas pelo terror!

    Tenha uma boa tarde caro amigo poeta Gil António, um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Edumanes

      Uma verdade sem rodeios
      Nem palavras de negação
      Por falta de certos meios
      Sofre hoje muito coração
      ............
      Grande abraço

      Eliminar
  18. Me incomoda como o homem sendo um ser racional age de forma irracional.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Bell

      Age assim pela ganância do poder e da fortuna, não olhando a meios para atingir os fines. Triste realidade

      Jokas amigas

      Eliminar
  19. É um belo poema, apesar de retratar uma grande tristeza.
    Tenha uma ótima quarta feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vanessa

      São palavras em verso, sentidas e magoadas

      Feliz semana

      Eliminar
  20. Incêndios assim deixam tristes rastros, que pena!
    Bem colocados seus versos!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Ivone

      Grato pelas amáveis palavras

      Retribuo os abraços apertados.

      Eliminar
  21. Gil, já descobriram que fez tamanha matança e crueldade?.
    Deveria ter pena de morte no mundo todo.
    Quanta dor!
    Mas eles irão rastejaram pelas rua pedindo um prato de comida.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  22. Olá!
    Triste realidade que vivimos também na Galicia.
    Sentido e belo poema.
    Boa noite

    ResponderEliminar
  23. Boa noite Gil.
    Um belo poema sobre uma tragédia bem recente.
    Muito triste o que se passou este ano no nosso País.
    Tanta morte.Tanta floresta destruida.Tanto sofrimento dos que passaram uma vida a trabalhar e de repente ficaram sem nada.
    Onde estão culpados?
    Ficam todos em liberdade que é para o ano voltarem a fazer o mesmo ao pouco que resta .
    Enfim!!!
    Sinto uma revolta muito grande.

    Um abraço

    Natália Fera

    ResponderEliminar
  24. O que foi levantado em séculos passados destruído em dias pela ganancia de alguns.
    abraço Gil
    Kique
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  25. Imagem e versos que retratam bem a triste realidade que deixou em sofrimento e dor todo país.
    Boa noite

    ResponderEliminar
  26. Parabéns, caro Gil António, pelo seu poema, com importante mensagem, como está nestes seus versos:

    Arvoredos, paisagens encantadoras
    Orgulho de gente feliz, maravilhosa
    Serras de amor, delicias encantadas
    Mãos cruéis, diabólicas, matadoras
    Espalham o terror, viram criminosas
    Deixam morte em matas queimadas


    Um abraço.
    Pedro

    ResponderEliminar
  27. E este ano foi terrível, uma triste realidade no nosso país.
    Beijinho

    abriga-tecomigo.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  28. Oi Gil, bn!
    Uma tragédia sempre deixa cicatrizes, mas também nos mostram pessoas sensíveis como vc.
    Aproveito p/deixar um abraço de agradecimento pela carinhosa visita da Larissa.
    Bjsss amigo e parabéns pelo poema

    ResponderEliminar
  29. Cómo llegan tus palabras hasta el corazón ,llenas de dolor...Personas matando paraisos y porque?
    No hya respuestas a tanta atrocidad.
    Siento todos los incendios ocurridos y doy mi mano a las familias afectadas y hablo con las aves y animales del bosque.
    La Naturaleza es sabia.Volverán a crecer flores y a cantar las aves
    Besucos

    ResponderEliminar
  30. Que poema triste, este ano o pais sofreu tanto com isto irão ficar marcas e dor
    https://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  31. Uma verdadeira catástrofe, que toma proporções ainda mais assustadoras quando percebemos que muitos dos incêndios são provocados intencionalmente e por pura maldade

    r: Também não gosto de coisas pela metade. Ou é ou não é!
    Muito, muito obrigada *.*

    ResponderEliminar
  32. Faz doer a alma, Gil António :(
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  33. Ato inconcebível e trágico maldosamente ceifando vidas.
    A música de fundo é linda demais!
    O poema todo traz um tema oportuno, destaco a terceira estrofe

    "Como podem dormir, mentes sovinas
    Enquanto choram famílias desfeitas
    Num sentimento de eterna saudade
    Quando as suas mãos vis, assassinas
    Ateiam o fogo, matam, e satisfeitas
    Ficam impunes sobre a sua maldade"

    Excelente post!
    Abraço amigo!

    ResponderEliminar
  34. Querido Gil António,
    Estive ouvindo em uma rádio
    daqui do Brasil ( rádio Band News)
    a entrevista com um enólogo e representante de muitos bons vinhos dai de sua terra dentre outros paises tambem aqui no Brasil. E ele narrava na entrevista a tristeza da perda dele e de muitos outros chefes dd familia por conta dos incêndios.
    Lendo seu texto lembrei da tristeza
    Vivida por meus amigos afilhados
    daqui do Brasil, na cidade de Nova Friburgo/RJ, eles vêem da janela
    o fogo consumindo o verde
    na montanha.
    Para eles Eu peço que não percam
    a ESPERANÇA e pra Vcs de Portugal
    Eu peço FORÇA E CORAGEM.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  35. Os meus aplausos por este excelente poema.
    Continuação de boa semana, caro Gil.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  36. Olá Gil,
    Um texto que mostra
    o lamento e a triste
    realidade de muitas famílias...
    Parabéns pela sensibilidade!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  37. Olá Gil Antônio! Agradecido por sua visita em Curvas, retas e esquinas. Gostei muito do texto reflexivo e poético. A realidade é dura e existente…Eu mesmo já visitei terras aqui no Brasil que antes eram lindos pomares naturais, e depois se tornaram áreas desertas para produção de carvão; uma lastima. Um belo texto! Abraço meu caro poeta.

    ResponderEliminar