domingo, 10 de dezembro de 2017

Margens de sedução de branca espuma


Margens de sedução de branca espuma
Onde frescas águas delicadas se beijam
Suavizam cansaços em espessa bruma
Soltando afectos de amor que almejam
.
Soltam-se agrupadas em vontades suas
Auroras de amor, alvas ondas de afecto
Num vai e vem ritmado, escolhas nuas
Sem voz, mas com perceptível dialecto
.
Trazem a beleza de sua extensa viagem
Unidas as ondas, vêm beijar a margem
Em timbre refrescante, dócil, acanhado
.
Deixam a suavidade de cálido carinho
Na margem suspendem o seu caminho
Enrolando-se em encontro enamorado
.
Autor: gil antónio
.

64 comentários:

  1. Linda inspiração no mar...Abraços, chica

    ResponderEliminar
  2. "Trazem a beleza de sua extensa viagem ..." e a poesia isso demonstra!
    Belo momento de leitura!
    Bom domingo!!!

    ResponderEliminar
  3. Para despertar suavemente. Parabéns.um abraço

    ResponderEliminar
  4. Bom dia querido Gil. Um poema lindo demais. Parabéns meu querido.

    Bom Domingo.
    Bjos

    ResponderEliminar
  5. O mar(e nem só), é a grande inspiração dos Poetas. Parabéns pelo Excelente poema.

    Beijinhos-Excelente Domingo

    ResponderEliminar
  6. manifestamente um belo poema.
    um gosto ler

    abraço

    ResponderEliminar
  7. Não passo um só dia que não as vá esperar e senti-las beijarem-me os pés com a frescura de inverno.

    O meu abraço.

    ResponderEliminar
  8. Uma inspiração bonita... O mar sempre traz encantos mil...
    Abraço e um bom domingo

    ResponderEliminar
  9. Bom dia Gil, um belo encontro do mar com o rochedo neste soneto de rara beleza.
    destaco o fechamento com chave de ouro:
    "Deixam a suavidade de cálido carinho
    Na margem suspendem o seu caminho
    Enrolando-se em encontro enamorado"

    Tenha um abençoado domingo!

    Saudações natalinas

    ResponderEliminar
  10. Que bonita essa inspiração de um carinho suave e delicado e... sedutor!

    Lindo!

    ResponderEliminar
  11. Um belíssimo poema em forma de soneto que, não fora a métrica, faria corar Espanca, Bocaje e outros mais.
    Parabéns, amigo Gil.

    ResponderEliminar
  12. Passando para deixar um abraço de
    agradecimento,desejar boas festas com
    muita paz e sabedoria,são meus votos pra vc
    e toda família.....🌷

    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderEliminar
  13. Olá, amigo Gil!
    As auroras do amor são lindas e aqui ressaltadas pela espuma branca que paira à deriva do mar com delicadeza imensa... lindo de se ler!
    Seja muito feliz e abençoado!
    Abraços fraternais de paz e bem

    ResponderEliminar
  14. Lindo soneto, Gil António, e sobre o mar... a minha paixão!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  15. Não Gil. Depois de morto, nada pode ser feito.
    As coisas tem que ser ditas em vida.
    O resto é conversa mole.

    Lindo soneto.
    Não sou boa em entende-los, já disse.

    ResponderEliminar
  16. Gil
    Bem bonito soneto, de que gosta mesmo, da tua bela proposta.
    Abraço

    ResponderEliminar
  17. Encantador esse soneto inspirado nos mistérios e belezas do mar. Obrigada pelas visitas carinhosas ao meu espaço.
    Beijos e um domingo bem feliz!

    ResponderEliminar
  18. bom dia, um dia usarei um pedaço de poema para ilustrar uma recita minha. Adoro!
    https://amigos-da-cozinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. Olá amigo Gil, obrigada pela presença e participação no poetizando comentando. seja sempre bem vindo! grata e fique a vontade para participar aqui no seu cantinho poético. Parabéns por mais essa bela poesia.A música é linda! Abraços

    ResponderEliminar
  20. Muito belo poema, numa imagética rica e no acréscimo de
    um belo sentir poético romântico.
    Gostei imensamente, poeta Gil.

    Votos de um domingo feliz e na paz!

    PS: Grata pela sua gentil visita no meu blog!...

    ResponderEliminar
  21. Amigo Gil, lindo poema, forte e encantador. essa música completou a postagem. Abraços

    ResponderEliminar
  22. Trazem a beleza de sua extensa viagem
    Unidas as ondas, vêm beijar a margem
    Em timbre refrescante, dócil, acanhado

    Amigo Gil, foto e poesia se completantando lindamente. Ao som dessa bela música. Amei a postagem. Abraços

    ResponderEliminar
  23. Simplesmente incrível essa sua escrita,meus parabéns :D
    Abraços ^.^

    ResponderEliminar
  24. A sedução tem cores,
    nessas margens é branca
    nas pétalas beleza tanta
    perfumadas são as flores!

    Tenha uma boa tarde de domingo caro amigo poeta Gil António, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  25. O sentir poético profusamente encadeado de romantismo nesse poema adorável, Gil
    Um abraço e uma feliz semana

    ResponderEliminar
  26. Gosto da carícia do mar quando chega em espumas brancas a beijar-me os pés. Espetacular poema, Gil
    Um abraço

    ResponderEliminar
  27. Esta adorável espuma pode me seduzir à vontade pois ficarei eternamente dela enamorada. Que poema lindo!!!!
    Obrigada pela gentil visita, Gil
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  28. Belíssima inspiração, cercado pela beleza da natureza e pela profundidade do talento do poetizar!
    Tenha um ótimo domingo.

    ResponderEliminar
  29. Se a natureza encanta os poetas, o mar é a mais fiel das suas musas inspiradoras. Gostei de ler.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  30. Margens de sedução de branca espuma
    Onde frescas águas delicadas se beijam
    Suavizam cansaços em espessa bruma
    Soltando afectos de amor que almejam
    .......
    Não digo mais nada, fico-me pela admiração do seu maravilhoso poetar
    Bjo

    ResponderEliminar
  31. Deixa-me extasiada a sua poesia. Enche-me o coração. O mar é lindo e quando é exposto em poesia mais lindo é ainda. Uma doçura de poema
    Abç

    ResponderEliminar
  32. Obrigada Gil António pelas maravilhosas prendas que me ofereces. Adorei de+
    Beijinho

    ResponderEliminar
  33. Deixam a suavidade de cálido carinho
    Na margem suspendem o seu caminho
    Enrolando-se em encontro enamorado
    .
    Meu querido Gil, foi escrito para mim e para o meu namorado?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  34. Todas as palavras são poucas para te elogiar meu amigo Gil. Fazes poesia como ninguém. Um gosto enorme ler-te

    Abraço

    ResponderEliminar
  35. Um belo poema para terminar o meu domingo! :) Boa semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  36. Beleza de poema parabens meu kerido amigo. Bjokas

    ResponderEliminar
  37. Mais um bonito poema Gil.
    Um resto de bom Domingo.
    abraço
    Kique
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  38. Olá, Gil António!

    Um soneto bem conseguido, qto ao sentido, não qto às características (leia Florbela Espanca, se pretender, e observe as regras do soneto. É fácil e vai aprender, rapidamente), onde personifica as ondas brancas ao beijarem as margens, lembrando saliva no enlaçar de duas bocas enamoradas ao beijarem-se.

    O título k deu ao seu soneto é igual ao 1º verso da 1ª estrofe. Parece-me repetitivo e muito junto. E ao Gil? Eu teria escolhido como título "Fascinação", que punha as mentes em alerta, pensativas, e além do mais há uma canção brasileira com esse nome, juntando o útil ao agradável, hoje e nos dias seguintes. Peço desculpa. Peço imensa desculpa, pois até parece k o blogue é meu.

    Sabe que há, pelo menos, dois blogues com o título do vosso? É verdade? O que me espanta é como o Blogspot deixou passar isso, pke, geralmente, não admite títulos iguais. A originalidade é mto importante.

    Grata pelas suas palavras no meu blogue, mas acredite que para ser QUASE campeã de comentários com fundamento, tem de se trabalhar para isso, ou seja, tem de se dar mais do que se recebe.

    Um abraço e desejo-lhe boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia amiga Céu

      - Aceito a sugestão dos títulos. Realmente a partir de hoje os meus títulos não serão a cópia de nenhum verso.

      - Leio MUITO Florbela Espanca. A métrica ao contrário do que diz - desculpe a minha opinião - não é fácil de colocar no papel. Por regra, os sonetos são compostos por versos de dez sílabas métricas. Sim, sei fazê-lo. Só que assim um poema demoraria uma semana a elaborar, lool. E isso é muito trabalhoso como sei que sabe. Como a poesia é fantasia, magia, atrevimento, ternura, etc etc etc, vou continuar a escrever como Gil António, com todos os defeitos e virtudes que sei que tenho. Mais defeitos, claro, lol

      - Sei que se tem que dar mais do que se recebe para se ser campeão dos comentários. Disse-o no seu doce e maravilhoso blogue, como uma graça e não com algum sentido pejorativo ou de critica. Se tal acontecesse - a critica - seria sempre construtiva e não negativa

      Apareça mais vezes. A sua presença aqui é como se olhar com gosto o ... CÉU.

      Retribuo o abraço e votos de boa semana.

      Eliminar
    2. Em tempo: Desconheço que existam outros blogues com o mesmo nome. Sei que existe, pelo menos um, com o título: BRINCAR COM AS PALAVRAS.

      Parece igual, e na sua essência até é, mas não tem o nome igual. Desconheço se existem outros.

      Abraço

      Eliminar
    3. Boa noite, Gil António!

      Isto começa bem (risos)! Não pense que me referi ao assunto, por mero acaso, nem pra "puxar dos galões", mas sim pela formação académica, que possuo, todavia, estou sempre a aprender.

      Ainda bem que lê. Eu até sei alguns de cor, todavia deixe que lhe diga que o soneto, tal como outra qualquer forma literária evolui, mantendo, no entanto, a sua essência. A pontuação nos sonetos de Florbela, e pensando na atual, não está correta. Tudo se altera e a Língua não é "coisa" morta, daí eu estar de acordo com o AO de 1990. É só uma questão de tempo, pke facto (pronunciamos o "c", então, escrevamo-lo) será para nós, acontecimento e fato, roupa de homem.

      Sei que não é nada fácil fazer sonetos, nem é a minha forma preferida de poesia, e por isso, nunca me atrevi a fazer um, sequer. Continue fazendo o melhor que sabe e como lhe der mais prazer.

      Gil, meu doce Gil, entendi, perfeitamente, a sua afirmação e não vi nela nada de pejorativo, de qualquer forma, qdo tiver de fazer críticas ao que escrevo, agradeço que as faça. O seu amigo Nuno Filipe dizia-me quase sempre que os meus poemas eram mto longos e eu prometia-lhe que iria tentar escrever menos, mas poucas vezes o consegui.

      Sim, irei aparecendo, excetuando no natal e ano novo, pke como já percebeu eu leio e analiso tudo o que ambos escrevem à "lupa", e não faço comentários sucintos e generalistas, pke não sei, pke não gosto e pke fico insatisfeita comigo, que é o mais grave.

      Qto ao nome do seu blogue, posso acrescentar que há um na plataforma Sapo com o mesmo nome, cujo criador, se chama Pedro Rosário e que até já deixou aqui comentários.

      No Blogsopt há outro, com o mesmo nome e cuja criadora se chama Tutti e é brasileira. teve início em novembro de 2006.a tutti já não posta há uns meses.

      Há depois outro, cujo criador se chama Denilso Silva, que é tb brasileiro. Este blogue, tem caráter didático. Tire as conclusões, que pretender. O vosso blogue poderia chamar-se, por exemplo: "OLHA QUE DOIS"! Pode não gostar da denominação, mas que é apelativa e original, lá isso é.

      O que são cumprimentos poéticos, Gil (rs)?

      Um abraço sincero e de ♥.

      Eliminar
    4. Boa dia amiga Céu

      Consegue fazer-me parar o pensamento pelo gosto e delicia de a ler que se apodera do meu ego.

      Desconhecia que existiam esses blogues, Ok. O nosso, meu, da Larissa, e de todos os nossos amigos e amigas, é apenas mais um que, sem pretensões que não sejam a diversão poética, vai continuar a existir.

      Querida amiga: O que são cumprimentos poéticos!!!

      Existem cumprimentos de ocasião, olá, estás bom, como vai isso, blá blá blá. Existem aqueles que são dados através de uma palavra amiga, acompanhados de um sorriso aberto, franco, sincero, Esses são para mim os cumprimentos poéticos. Quando existe dentro de quem recebe o sentir do cumprimento, sente-se que, a magia da poesia é um sentimento poético.

      Olhe: Imagine que uma pessoa cumprimenta a Céu, num dia em que a Céu, está naqueles dias de inferno, ou seja, num dia que que a disposição de um/a Céu azul, está um inferno de trovoada, lool.

      Será que aí acontece o cumprimento poético?

      A presença aqui no blogue da amiga Céu, é para mim, muito mais, que um cumprimento poético. É estar olhando o brilhantismo do/a Céu.

      Abraço daqueles que chegam ao coração da... Céu.

      Eliminar
    5. Bem, e eu que "não" gosto nada de escrever, sou "forçada" (rs) a fazê-lo, aqui, com o Gil António, que é um galanteador nato, mas é bom que assim continue, pke eu vejo a "espécie" quase em vias de extinção.

      Sou, inteiramente, a favor do piropo brejeiro e decente. Há algum tempo, uns meses, disseram-me um, em plena rua, e olhe que o "rapazinho" já andava mais perto dos 50 dos que dos 40 anos e que "rezava" assim (após eu o ter olhado, pke era mto interessante, fisicamente, e estava bem vestido, casual (de luxo) e com gosto): "ainda dizem que só a boca é que fala". Acredite que eu fiquei a sorrir interiormente e a pensar na abrangência e na inteligência daquela frase, daquele piropo.

      Boa noite, Gil António!

      Efetivamente existem os blogues, que eu referi acima e com o mesmo nome do vosso, mas "há muitas Marias na terra".

      Para mim, meu amigo, não existem cumprimentos poéticos, embora eu tenha entendido muito bem a sua prosa. Essa expressão é invenção dos poetas, pois! Cumprimentar é o ato de cumprimentar, de saudar, de fazer uma reverência e os cumprimentos, os melhores, usamos em atos oficias, como, por exemplo escrever a uma entidade, Finanças, SMAS, EDP, MEO, etc.. após expor o assunto, termina, dizendo: Os meus melhores cumprimentos, beltrano de tal.

      Eu, por incrível, que possa parecer, não tenho dias cinzentos, nem tempestuosos, posso ter dias menos bons, isso sim. Sou mto constante de caráter, serena e costumo remeter-me ao silêncio, qdo algo não está bem. Cumprimento toda a gente como nos outros dias (sabe, eu não sou daquelas pessoas que cumprimentam com sorriso de orelha, a orelha, alta voz e palmadinha nas costas. Sou soft, discreta e nada exagerada). Normalmente, os pequenos aborrecimentos, que todos temos, eclipso-os na despensa da minha cozinha e qdo chego, acertamos "as agulhas" (rs), portanto comigo há sempre cumprimento biunívoco afável, mas não exagerado.

      Ah, e o Gil termina, brilhante e poeticamente, a "meus pés", quase "dizendo" Mamastê (rsrsr).

      HUM! O abraço já cá chegou e agora vai de regresso, levando na mão uma rosa vermelha.

      Eliminar
    6. Abraços poéticos, doce carinho
      Que nos diz, por vezes baixinho
      Os desejos que invocam
      Talvez sejam abraços de saudade
      Ou até mostrando felicidade
      Quando com amor se tocam
      ...
      Como explicar esse abraço
      Quando não existe o traço
      Porventura erro meu
      Já li escrito num caderno
      Que sairia do inferno
      E esse abraço me levaria ao Céu
      ......................
      Gosto de Rosas Vermelhas. Até sou benfiquista.
      Beijinho....poético

      Eliminar
    7. Boa noite, Gil!

      Grata, mto grata pela poesia, que foi resposta. Lamento não saber fazer nada de improviso.
      Ainda bem que gosta de rosas vermelhas. Também sou benfiquista.

      Um sincero abraço.

      Eliminar
  39. Mais um belíssimo poema!

    r: Fico contente :)

    ResponderEliminar
  40. As ondas do mar quando amorosas representam o lado doce da vida ...fica a sensação da paz e de tudo em seu lugar.
    Um abraço

    ResponderEliminar

  41. Obrigado Gil António
    pela sua visita aos meus blogues

    Agradeço também os simpáticos comentários.

    Tem razão no que diz sobre os nossos idosos,
    é isso mesmo - não mereciam o destino
    que, infelizmente têm. E sabemos qual é...

    Para lá caminho
    e começo a ficar muito apreensiva quanto ao meu futuro.

    Gosto das suas "Margens de sedução de branca espuma"

    Um belo soneto!

    Deixo um abraço de amizade.
    Boa semana deseja-lhe a Tulipa

    ResponderEliminar
  42. Oi Gil
    Uma singela poesia sobre as ondas do mar, quando uma se encontra com a outra existe o amor, assim é o ser humano.
    O amor é tudo na vida.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  43. E nós ficamos enrolados, envolvidos no seu belo poema.
    Aquele abraço, boa semana

    ResponderEliminar
  44. Bom dia

    A todos/as os visitantes em geral e comentadores/as em particular, deixo o meu mais sincero AGRADECIMENTO.

    Tenham um dia muito feliz
    Apareçam e comentem SEMPRE.
    .

    ResponderEliminar
  45. Olá Gil!
    Retribuo a visita ao meu roldeleituras.
    Gostei deste poema. Vou voltar para ler todos os outros..."num vai e vem ritmado".
    Abraço e boa semana.

    ResponderEliminar
  46. Maravilha de soneto, caro Gil. Muito bom! Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  47. Boa tarde, Gil
    soneto falando de espumas do mar, sedução de um vai e vem constantes de paixão. Lindo!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  48. Oi Gil,
    Que beleza de poema!
    Até as ondas vem beijar a margem...
    E a imagem também é linda!
    Beijos ;)

    ResponderEliminar