terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Amor ... ou castigo do coração?


Amam-se as árvores, as marés, as flores
Os olhares, doces corações embebecidos
Tudo é vão como vazias são as vis dores
Traídas emoções em ósculos prometidos
.
Sinto na alma essa emoção e douto pavor
Que arde em mim como lume queimando
Abrasada noção de um beijo cheio de dor
Intenso fascínio que em mim foi entrando
.
Não é culpa tua esta cansada incoerência
Que me queima e dói em dura insistência
Que me diz não saber meu coração, amar
.
Deixando-me vegetar neste infernal tédio
Não sabendo se és tu o precioso remédio
Que cure a dor que teima em me castigar
.
Autor: gil antónio
.

59 comentários:

  1. Masi um bonito poema que vim, aqui, conhecer!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  2. Parabéns meu amigo Gil Antonio...
    Amar é parte da essência humana.... fomos feitos para amar, somos feitos de um ato de amor....

    ResponderEliminar
  3. E isto o amor. Parabens Gil amei demais.Bjokas

    ResponderEliminar
  4. Vejo que também gosta de brincar poeticamente com as palavras.

    Dia feliz.

    ResponderEliminar
  5. Um poema profundo, um tocante versar.

    Um abraço e uma boa semana.

    ResponderEliminar
  6. Bom dia Gil, o amor é espetacular. Bela postagem.

    ResponderEliminar
  7. Magnífico, inteligente inspiração poética!

    Parabéns com o meu abraço.

    ResponderEliminar
  8. Bom dia Gil!
    Fiquei deslumbrada com a tua poesia. Excelente veia poética tu tens. Muitos Parabéns!!! Nota 20 :)

    Beijo e um excelente dia.

    ResponderEliminar
  9. Amor e castigo ... para mim ... nunca poderão combinar!
    Gosto da escolha poética!!!bj

    A Aldeia do Xisto de Gondramaz
    distingue-se pela tonalidade específica
    do xisto que nos envolve da cabeça aos pés:
    https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/2018/01/olhares-de-gondramaz.html

    Gosta de goiabada e queijo!? … há uma sugestão aqui:
    https://ospetiscosdagracinha.blogspot.pt/2018/01/sabores-queijo-e-goiaba.html

    Para os poetas e poetisas … um poema que se gosta de ler:
    https://mgpl1957.blogspot.pt/2018/01/da-minha-aldeia-alberto-caeiro.html

    E uma sugestão para costurar e bordar … aqui:
    https://asarteiricesdagracinha.blogspot.pt/2018/01/costurando-emocoes.html

    ResponderEliminar
  10. Mais um lindo soneto amigo Gil! Quantos segredos pode guardar um coração e nele diferentes formas de amor nasce e cresce. Lindo e profundo, parabéns grande poeta. Tenha um bom dia!

    ResponderEliminar
  11. Boa tarde Gil.
    O Concurso Literário é para quem desejar participar.
    Para tal preciso do endereço de email do partipante
    para enviar as regras(edital ). Pode enviar seu endereço
    de email para o meu catiaho@hotmail.com.
    Estou capacitada e habilitada pela Oficial Academia Tijuquense de Letras para prestar todo e qualquer esclarecimento.
    Uma vez que sou Acadêmica Correspondente das mesma há vários anos representando o meu estado no Brasil que é o Espirito Santo.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  12. Olá Gil

    Um poema encantador cujo encanto na palavra amor tão bem é descrito. Amei.
    Bjo

    ResponderEliminar
  13. Por vezes parece mesmo castigo, mas depois penso e, o amor é dos mlhores sentimentos que existem, há é pessoas que não o sabem receber.

    XOXO|| diamonds-inthe-sky.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde meu querido Gil. Fico sempre boquiaberta quando leio os teus poemas.
    Queria eleger e destacar um poema teu, não consigo. Sabes porque? Porque todo tu transbordas, amor, poesia e encanto. Parabéns.

    Bjos
    Dia super feliz para ti ;-)

    ResponderEliminar
  15. O amor é lindo e puro, porém bipolar, na mesma medida que nos faz bem, também nos faz mal!
    Beijos

    www.estiilocarol.com

    ResponderEliminar
  16. Um excelente soneto, que espelha
    um sentir intenso no romantismo.

    Votos de um dia feliz para você também, Gil António.

    ResponderEliminar
  17. Um poema tão singelo que elimina a dor do amor!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  18. Oi Gil, bt!
    Como sempre, uma bela inspiração que resulta n/lindo poema. Parabéns!
    Bjss amigo

    ResponderEliminar
  19. Lindo demais, meu torrãozinho!

    Bjocas carinhosas :)

    ResponderEliminar
  20. Este poema, é como já alguém dizia: Ao mais alto nível. És de facto um enorme Poeta. Aplausos :)


    Beijinhos

    ResponderEliminar
  21. Amor palavra doce,
    quando não tem amargor
    se empecilho não fosse
    o ciúme tormenta dor!

    Tenha uma excelente tarde caro poeta Gil António. Um abraço.

    ResponderEliminar
  22. Que lindo.. tenha uma boa tarde 🌸

    Ta rolando sorteio lá no blog, corre e participa! 💗

    Sorteio de uma Caneca super fofa de Pug

    ResponderEliminar
  23. Boa tarde, belo poema do Gil António, o mesmo faz uma chamada ao amor.
    Boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
  24. Um poema muito bonito que nos toca e uma musica bem relaxante, parabéns.
    Uma boa semana.
    Abraços

    ResponderEliminar
  25. O amor escrito em mais uma publicação feita pura arte poética.
    Abraço caro amigo Gil

    ResponderEliminar
  26. A vida de ninguém é repleta de momentos perfeitos. E se fosse, não seriam momentos perfeitos. Seriam apenas normais. Como você poderia saber o que é a felicidade se nunca tivesse experimentado as quedas e as agruras da vida. O Gil descreve o amor como só os grandes poetas o sabem fazer. Um fascínio visitar seu blogue
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  27. Meu amor por você terminará no mesmo dia em que o amor de Deus por você tiver fim. A minha homenagem ao poeta Gil António.

    ResponderEliminar
  28. Mais um encantador poema que adorei ler.
    Parabéns!
    Bj

    ResponderEliminar
  29. Tudo nesta vida tem de ser amado
    Não importa... seja o que for
    Porque teu coração lindo, enamorado
    Exala sapiência, sedução e muito amor.

    Deixas-me de água na boca
    Com os teus poemas sábios 
    Aqui vagueio como louca
    Desejando beijar teus lábios.

    Muitos e merecidos parabéns pela obra poética. ^.^

    Um sussurro ;)

    ResponderEliminar
  30. A vida é um emaranhado de sentidos e sentimentos que, nem sempre, sabemos traduzir.

    Boa tarde

    ResponderEliminar
  31. Um poema muito belo e profundo... com a qualidade de sempre...
    Finalmente passando por aqui, com tempo, o que não consegui nas últimas semanas, para vir apreciar com calma as vossas publicações...
    Parabéns pela escolha do fundo musical... Maravilhosa!!!!
    Um grande abraço! Feliz semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  32. Gostei deste teu canto, irei voltar

    Abraço

    ResponderEliminar
  33. O amor? Só acredito no de país para filhos. Esse é eterno e está sempre presente.
    Boa quarta

    ResponderEliminar
  34. Poema inspirado.
    Obrigado por teu olhar no Dúvidas Aquilinas.
    Nas dobras do dia é o espaço das minhas publicações.
    Um abraço,

    ResponderEliminar
  35. O amor tem suas complexidades, caro Gil Antonio. É natural, portanto, que as interrogações se avultem principalmente nos corações poéticos.Parabéns pelo belo versejar e um grande abraço.

    ResponderEliminar
  36. Ah, o amor, esse sentimento
    que eleva almas,
    mas traz tanto sofrimento!!

    Lindo soneto, Gil. Quanto talento poético há neste blogue, meu Deus! Adorei!!

    Abraço.

    ResponderEliminar
  37. Ai o amor!
    Hoje andei na rota de um grande e funesto amor. Pedro e Inês pois claro.
    Gostei do poema.
    Abraço

    ResponderEliminar
  38. O amor pode-nos deixar nessa corda-bamba de emoções!
    Gostei do poema

    r: Sem dúvida

    ResponderEliminar
  39. Olá, Gil António!

    Grata pela sua visita e tão engraçado comentário, que compreendo, lindamente. Quem me manda escrever, assim? É que é propositado e vocês, homens, não são de ferro (rs). Eu gosto na escrita e até na vida privada e profissional ir até quase ao fim da linha, but, stop!

    Li o seu soneto, com muita atenção, e acho que a culpa é da falta de um osculum (vocábulo em Latim) abrasador, que remova montanhas e entranhas. Não meta o coração nestas andanças, pke ele é um tonto e não tem capacidade para discernir. Sofre, chama, implora, clama, mas não sabe arranjar solução. Ora, meu querido amigo, faça apelo à razão, à racionalidade e esta dar-lhe-á uma resposta acertadíssima. Não hesite! Ela, espera-o!

    A "sua" alma sente-se desamparada ou talvez culpada, mas não lhe ligue, pke a culpa não é dela, pobrezinha, mas sim do "seu" coração, que ama em excesso, é verdade, em, excesso e por vezes, simultaneamente. Pois, não pode ser! Os corações dos homens (os das mulheres, alguns) não conseguem ser monogâmicos, mesmo que façam um tremendo esforço. O que veem, as vossas vontades, apetências e desejos, não vos conseguem manter fieis por mto tempo e olhe que em mente, "pecam" todos os dias. Não diga que não, pke eu sei alguma coisa de Psicologia e olhe que Freud, e apesar daqueles vapores, que ele inalava, disse coisas mto certas acerca de nós e de vocês.

    Evidente, que "isto" é um soneto, e portanto não o podemos, nem devemos transpor para a realidade, mas, por vezes, algo coincide. Decerto e sem a mínima dúvida, ela, a sua namorada/companheira é a obreira deste sentimento. Amem-se! Como não acredito em amores eternos, até que ambos o sintam.

    Qto ao seu comentário, tenho de dizer-lhe que aquilo que homens e mulheres gostam de tocar e afagar, ali, não é propriamente de sexos, pipi e pilinha (rs), que falo, mas sim da pele toda, da extensão fenomenal do corpo e dos roteiros desconhecidos e que só as mãos os conseguem encontrar. Estudou História, decerto. Então, relembre o que Vasco da Gama, seu irmão, Paulo da Gama e tantos marinheiros sofreram para descobrir o caminho marítimo para a Índia em 1498, dois anos antes do Brasil. Como não tinham já água, bebiam a própria urina e punham sola de molho para comerem alguma coisa, visto que tudo o que levaram já tinham consumido. A viagem foi mto mais demorada do que aquilo, que tinham previsto. Pensaram, que levariam uns meses a lá chegar, mas foi um ano, portanto começou tudo a faltar. Morreu mta gente, mas alcançámos a desejada Índia. "Ó bendito esforço e cansaço"!
    Peço desculpa pela "lição", mas uma das minhas formações académicas superiores é em História.

    Pode deixar cumprimentos, poéticos ou não, longos comprimentos (palavras parónimas) de ondas positivas e zen. Eu deixo-lhe um cordial abraço.

    Bom futebol, durma bem e bons sonhos.

    ResponderEliminar
  40. Oi Gil,
    Nada é mais importante do que o amor
    O amor entre homem e mulher deve se perpetuar. É lindo.
    Abraços
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  41. Poema bastente intenso e profundo....amor....a quanto obrigas
    abraço Gil
    Kique
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  42. Belo soneto, caro Gil. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas uma boa noite, uma boa semana, um bom ano e uma boa vida.

    ResponderEliminar
  43. É um soneto singular, Gil.
    Fala de uma incerteza do eu poético que o perturba
    e faz infeliz.
    Muito bom.
    Saudações poéticas
    ~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  44. O amor não tem garantias, por vezes amar parece um castigo ainda mais qdo só um tem sentimentos.
    bjokas =)

    ResponderEliminar
  45. No limite sofre-se por Amor e por falta dele!

    De momento estou a sofrer por Amor ou será (só) por empatia a uns seres sofrentes, face aos que pouco mais posso fazer que sofrer empaticamente com eles... que como diz a estimada amiga Céu "faça apelo à razão, à racionalidade e esta dar-lhe-á uma resposta acertadíssima.(...)", sendo que no meu caso limitei-me a ceder ao sentimento e à paixão, espero que mais sublimemente ao Amor, por mais que doa!

    Continuação de boa semana, com melhor do Amor

    ResponderEliminar
  46. que lindo poema
    https://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  47. Com sorte, na nossa vida, vivemos grande amores
    Primeiro aos pais, depois ao companheiro/a, depois aos filhos, aos netos.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  48. O amor nem sempre nos salva, mas é tão bom senti-lo.
    Abraço

    ResponderEliminar