sexta-feira, 9 de março de 2018

Fogo de Amor: O Infinito da Mélica Ternura

Imagem relacionada
Teu corpo é fogo que abrasa meu momento
Que refresca o meu semblante de embaraço
Vem, olha que o destempo é estreito tempo
Que tantas vezes origina tão sólido cansaço
Vem viver nosso amor sem dor nem pranto
Abre teu coração à sedução do pensamento
Para que nosso fogo seja de zelo e encanto
Derrames do espaço em tempo sem tempo
Ontem era tarde para que teu ânimo, sorria
Faz da negrura o sol que ilumine nosso dia
Amanhã será tarde e o desnorte da ruptura
Infelicidade que toca tão pesarosos olhares
Não seja o passado de desgostos e pesares
E seja somente o infinito da mélica ternura
autor: gil antónio

38 comentários:

  1. Que bonito, Gil! Pedido forte, corajoso! Que essa entrega seja "sem dor nem pranto" ;)

    beijos!

    https://ludantasmusica.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  2. Olá, Gil
    Mais um belíssimo soneto de amor!
    Não há dúvida de que «Amor é fogo...»!
    Bom fim de semana.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
  3. Sensualidade à flor da pele... muito bom!

    Convidamos-vos a acompanhar o desenvolvimento do nosso conto escrito a várias mãos

    https://contospartilhados.blogspot.pt/2018/03/voar-sem-asas-capitulo-iv.html

    Com votos de um bom fim de semana

    Saudações literárias

    ResponderEliminar
  4. Nunca é tarde se o amor existe. Ele é o único sentimento que resiste à marcha do tempo.
    Um abraço e bom fim de semana, se S. Pedro deixar. Por aqui está um vento que anda tudo pelos ares.

    ResponderEliminar
  5. Gosto de sonetos, dessa rima cruzada que tão bem adorna o verso.
    Belos estes teus dizeres.
    Cordialmente

    ResponderEliminar
  6. Um poema encantador! Parabéns.

    Beijinho. Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  7. Simultaneamente puro e ardente o momento poético! bj

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde meu querido. Um poema lindo demais. Dou-te os meus parabéns.

    Bjos
    Bom fim de tarde.

    ResponderEliminar
  9. Um poeta de mão cheia! Muito bom.

    Um abraço, Gil.

    ResponderEliminar
  10. Caro Gil Antonio, a tua súplica poética é das mais encantadoras. A acalentura dos corpos são como o aconchego ao redor de lareira em noites hibernais. Aplausos,bom fim de semana e um caloroso abraço.

    ResponderEliminar
  11. Pediu para clicar, cliquei,
    logo fiquei rodeado de fogo
    de nada arrependido fiquei
    porque foi muito maravilhoso!

    Tenha uma boa noite caro amigo poeta Gil António.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  12. Mais um belíssimo poema.
    Parabéns!
    Um forte abraço de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderEliminar
  13. Olá Gil, bt!
    Mais um belo poema que encontro nesse cantinho. Parabéns!
    Bjsss amigo e um feliz FDS p/vcs

    ResponderEliminar

  14. gostei muito desta imagem, Gil,
    Abre teu coração à sedução do pensamento !

    bom fim de semana, e lindos poemas !
    Angela

    ResponderEliminar
  15. Quem assim escreve poesia mostra a grandeza do seu coração
    Beijinho Gil

    ResponderEliminar
  16. Quando as palavras são o silêncio da alma, reflectem-se em chamas de amor. Que poema lindo.
    Bjo

    ResponderEliminar
  17. O título dado define bem a sensibilidade e grandeza poética do poema. Intenso e profundo
    Beijinho Gil

    ResponderEliminar
  18. Uma imagem quente e doce que tão bem ilustra um poema de esplendor

    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    Abraço

    ResponderEliminar
  19. https://poemasdaminhalma.blogspot.pt/
    Olá Gil!
    Você se não existisse teria que ser inventado, para dar à mulher o devido valor que ela merece.
    "Fogo de Amor: Infinito Da Mélica Ternura". Excelente poema, em homenagem ás mulheres, é de forte ternura e sensibilidade. Parabéns caro amigo.
    Um abraço e tenha óptimo fim de semana.
    Luisa fernandes

    ResponderEliminar
  20. Que o Amor seja o infinito da Mélica ternura

    LINDO, LINDO, LINDO

    ResponderEliminar
  21. Gostei do poema
    Não preocupa,o fogo só esquenta por dentro
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  22. Oi Gil! Brincando com as palavras e com o fogo. Quente e cheio de ternura . Paixão versus amor, e tudo se resume em tão belo poema. Abraço e feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  23. Versi intensi e di particolare bellezza,molto apprezzati
    Un saluto,silvia

    ResponderEliminar
  24. Uma linda explosiva entrega Gil
    O poema é sensual e deliciosamente apaixonado
    Beijos

    ResponderEliminar
  25. Bom dia, Gil,
    seu soneto repleto de sensualidade construído com palavras que exprimem a sensibilidade, não deixa apagar o fogo da paixão nas almas apaixonadas. Belíssimo! Abraço!

    ResponderEliminar
  26. Belíssimo e sensual!
    Um soneto repleto de sensualidade por duas almas apaixonadas.
    Bjs Gil e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  27. Poeta Gil, boa noite: Teu soneto revestido de pérolas reais. Numa súplica; que "abrasa o infinito da mélica ternuraವ". Meus sinceros parabéns. Que Teu fim de semana , evoque mais versos perolados. Abraço da Luiza

    ResponderEliminar
  28. Uma ternura, um verdadeiro encanto este belo Soneto!

    Parabéns, Gil António. Adorei, mesmo!

    Votos de um excelente e repousante Domingo.

    ResponderEliminar
  29. Obrigada pela visita, Gil. seu blog é muito bonito!

    ResponderEliminar
  30. Agradecendo seu Comentário no Meu " Valado Minha Paixão" Abri seu Blogue everifiquei quanto insignificante Sou . Parabéns pelo teor de Imagens e Fundo Músical.
    Alberto C.Santos " Alberto Latoeiro"

    ResponderEliminar
  31. E como um dia escreveu Camões " O amor é fogo que arde sem se ver ...."
    Que soneto lindo.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar