sábado, 24 de março de 2018

[Poetizando e Encantado] Criança que quero ser...

 
 🌼
Quem me dera, poder voltar atrás no tempo
Ter a inocência de outrora sem as desilusões
Ter os jardins vazios de maldade e confusões
Brincar em segurança sem medo ou tormento
🌼
Quem me dera, poder ser, outra vez a criança
Que brincava segura numa quimera imaculada
Crescia, e via crescer a natureza e apaixonada
E construía o mais lindo castelo com esperança
🌼
Criança que quero ser renuncio as adversidades
Quero paz em volta do mundo e no meu jardim
Quero, que as flores viçosas, sorriam para mim
Enquanto construo meu castelo de irrealidades.

🌼👧
 Autora: Larissa Santos



Mais uma vez me orgulho de ter recebido o ilustre convite da Professora Lourdes Duarte para Poetizar. Espero ser do agrado de todos.  Sábado Feliz para todos.

56 comentários:

  1. É que é um mundo que ainda não está contaminado!
    Gostei de ler!!!
    Que seja um fim de semana radioso!!!

    ResponderEliminar
  2. Linda tua poesia e e3scolhemos a mesma imagem... Beleza de ver tua inspiração! bjs, lindo fds! chica

    ResponderEliminar
  3. E há que manter em nós a criança que existe em nós apesar das "desilusões e confusões". Lindissimo!

    Beijocas e um bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. O tempo, grande veículo sem ré, que avança incontido, atropelando nossos castelos, nossos sonhos de meninos, de meninas. Reflexiva e bela participação.

    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  5. Adorava ter uma maquina do tempo e poder voltar a ser criança. Belo texto o teu minha amiga que me fez voltar atras a minha infancia onde tudo era cor de rosa. Bjokinhas Larissa

    ResponderEliminar
  6. Amiga querida, se mantivéssemos o coração de criança, com certeza o mundo seria diferente. maravilhosa poesia!
    Grata pela participação e a corrente de oração. Que jesus nos abençoe, hoje e sempre. Tenha um bom dia!

    ResponderEliminar
  7. Bom dia Larissa,
    Como seria bom se o nosso coração mantivesse a mesma pureza da infância, o mundo estaria isento de tantas mazelas. Seu poema traz uma mensagem rica e oportuna. Parabéns!
    Feliz findi com muita paz e a proteção de Deus!

    bjs!
    se puder visite meu bloguinho novo:
    http://eucontoparavoc.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  8. Seria ótimo se nunca crescêssemos...!!!
    Mas pelo menos, os adultos deveriam continuar com um coração infantil!!!

    ResponderEliminar
  9. Olá. Que lindo. A imagem é comovente. O poema uma delicia poética.
    Amei de coração
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Sonhos de criança que nos acompanham durante toda a vida!

    O meu abraço.

    ResponderEliminar
  11. Larissa
    começo por agradecer a sua visita ao meu blogue!

    e, muito grata pelo convite a ler a sua bela poesia
    tenho que confessar que uma lágrima de nostalgia rolou
    pois não tem sido fácil a minha vida adulta

    Como eu iria ser Feliz se pudesse regressar à minha Infância!

    Como seria bom
    se o coração/Alma dos adultos
    mantivesse a mesma pureza da infância
    o Mundo seria um lugar de muita PAZ

    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  12. Muito lindo! Devemos manter dentro de nós a simplicidade e a pureza de uma criança,com certeza a vida fica mais bonita.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Como tu, eu desejo essa era
    Que passou tão depressa, sem se ver;
    Como tu, me alimento da quimera;
    Como tu, não mais quero esquecer.

    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar
  14. Amiga, que bela poesia interpretação de uma imagem singela, pura e bela
    Quem me dera, poder ser, outra vez a criança
    Que brincava segura numa quimera imaculada
    Crescia, e via crescer a natureza e apaixonada
    E construía o mais lindo castelo com esperança...

    Quem dera ser criança outra vez!
    Abraços

    ResponderEliminar
  15. Belíssima participação, Larissa! Este é o desejo compartilhado por muitos de nós!
    Um grande beijo!

    ResponderEliminar
  16. Magnifica e inspirada participação, Larissa!
    Quem nos dera a todos, manter esses jardins, tão especiais e secretos, da nossa infância!
    Beijinhos! Daqui a mais um pouco, no final da tarde, virei espreitar com tempo, as vossas últimas postagens, que nas últimas semanas, se me escaparam!...
    Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  17. Nao podemos deixar que nossa criança interior morra,mesmo que a vida nos torne adultos... ser criança é manter a esperança...é sonhar...

    Beijos...

    ResponderEliminar
  18. Que linda participação, amei ler poetisa Larissa, a infância bem vivida é tudo de bom, recordar é gratificante, amei os versos!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  19. Boa tarde!
    Parabéns pelo bom gosto da imagem que deu origem a um poema encantador. Jamais deveríamos deixar a morrer a criança que existe em nós. AMEI!


    Especial : Paisagem...Um amor que não quero perder [ Poetizando...]

    Beijinhos. Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  20. Larissa no seu melhor. Que poema encantador, cheio de sedução e carinho. Lindo demais
    Beijo

    ResponderEliminar
  21. que bom seria voltarmos a ser criança
    nem que fosse por um dia
    muito belo o seu poema.
    bom fim de semana.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  22. Um poema encantador *.*

    r: Sim, também é verdade!

    ResponderEliminar
  23. olá, Larissa!

    Pois, só as crianças veem o mundo sem maldade e adversidades. elas são puras e ingénuas.

    a Larissa gostaria de ser criança, outra vez. Quem não gostaria, mas isso é completamente impossível e improvável, pke o tempo não volta atrás. De qualquer forma, só nos faz bem pôr a nossa alma e os desejos a nu.

    Os adultos já apanharam os defeitos quase todos, já lemos a "cartilha" quase toda e já entrámos no sistema. A inocência foi-se de vez.

    mais uma bonita participação sua na iniciativa da Lourdes.

    beijos e bfds.

    ResponderEliminar
  24. Agora você me responda;
    você merece ou não merece
    um beijo? Claro que sim.
    No momento em que eu bus-
    cava por sua presença, lá
    vinha você com esse jeito
    gostoso de quem gosta da
    gente.

    Beijos e boa tarde.

    silvioafonso

    .

    ResponderEliminar
  25. Oi Larissa!
    Obrigada pela visita e comentário no meu blog!
    Adorei seu cantinho aqui e seu poema.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderEliminar
  26. Parabéns mais uma vez, amiga Larissa!
    Seu poema é simplesmente divinal...
    Quem não terá saudades dos tempos de criança?
    Que frases mais puras a compor esta bela poesia!...
    Beijos de Paz e carinho,
    tenha um feliz e Abençoado Domingo de Ramos,
    junto de seus amados!

    ResponderEliminar
  27. Minha querida Larissamiga



    Hoje venho dar uma triste informação. Faz hoje oito dias faleceu o meu irmão Braz vitima de um cancro na próstata, ao fim de um longo penar de quase um ano que começou no Médio Oriente onde vivia e trabalhava e terminou aqui na Lourinhã na Casa de Santa de Santa Bárbara de Conforto e Acompanhamento.

    O meu irmão era Consultor de Cimenteiras no domínio do Pessoal e chegou a estar entre os dez melhores do Mundo. Deve ter ganhado balúrdios (não sei quantos, nunca lhe perguntei, cada um trata do seu) mas, infelizmente estava sem cheta, pois gastou-os só com mulheres, dado que teve creio que doze ou treze… Dois com quem casou, dez ou onze com que viveu. Chegou a ser bígamo…

    Por decisão da Raquel mandámo-lo vir do Dubai onde estava só – com o cancro. A última mulher era filipina e tinha ido a Manila tratar de coisas dela. Ficou em nossa casa, depois foi para o Hospital de Santa Maria e finalmente para a Casa de Santa Bárbara. Além de trazer 29 euros e 57 cêntimos tinha o passaporte a meio ano de caducar e relatórios médicos diversos e mais nada.

    Quem tratou de tudo, cartão de cidadão, passaporte novo, certidões, etc. foram a Raquel e o meu primogénito Miguel que para acrescentar e agravar a situação, sendo economista de mérito comprovado e atestado está desempregado. Eu dada a incapacidade física mal consigo andar fiquei em casa, agora voltei a andar melhor mas sempre com bengala.

    E é tudo, e chega.



    Minha querida Larissamiga



    Hoje venho dar uma triste informação. Faz hoje oito dias faleceu o meu irmão Braz vitima de um cancro na próstata, ao fim de um longo penar de quase um ano que começou no Médio Oriente onde vivia e trabalhava e terminou aqui na Lourinhã na Casa de Santa de Santa Bárbara de Conforto e Acompanhamento.

    O meu irmão era Consultor de Cimenteiras no domínio do Pessoal e chegou a estar entre os dez melhores do Mundo. Deve ter ganhado balúrdios (não sei quantos, nunca lhe perguntei, cada um trata do seu) mas, infelizmente estava sem cheta, pois gastou-os só com mulheres, dado que teve creio que doze ou treze… Dois com quem casou, dez ou onze com que viveu. Chegou a ser bígamo…

    Por decisão da Raquel mandámo-lo vir do Dubai onde estava só – com o cancro. A última mulher era filipina e tinha ido a Manila tratar de coisas dela. Ficou em nossa casa, depois foi para o Hospital de Santa Maria e finalmente para a Casa de Santa Bárbara. Além de trazer 29 euros e 57 cêntimos tinha o passaporte a meio ano de caducar e relatórios médicos diversos e mais nada.

    Quem tratou de tudo, cartão de cidadão, passaporte novo, certidões, etc. foram a Raquel e o meu primogénito Miguel que para acrescentar e agravar a situação, sendo economista de mérito comprovado e atestado está desempregado. Eu dada a incapacidade física mal consigo andar fiquei em casa, agora voltei a andar melhor mas sempre com bengala.

    E é tudo, e chega.


    Muitos qjs deste teu amigo portuga
    Henrique, o Leãozão







    ResponderEliminar
  28. Muito lindo seu poema, Larissa!
    Virei sempre aqui visitá-la.
    Tenha uma ótima semana de Páscoa!

    ResponderEliminar
  29. Larissa,quase escrevemos igual,ainda bem que ainda não havia visto o seu.rs
    Amei você poetizou lindamente como sempre assim o faz.
    Bjs,obrigada pela visita e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  30. Que poema lindo, emocionante, Larissa! Eu também gostaria de voltar à minha infância onde tudo corria normal e o medo não rondava...Foi uma infância saudável, onde criança era criança. Mas o bom é quando conseguimos guardar um pedacinho que seja, daquela criança que um dia fomos.
    Beijo!

    ResponderEliminar
  31. Tocante sua participação ressaltando a pureza da criança com suas brincadeiras que os adultos subtraíram delas...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  32. Que coisa mais linda de poema, as crianças são maravilhosas se nós adultos tivéssemos um pouco da pureza delas seriamos mais felizes
    Beijos

    www.estiilocarol.com

    ResponderEliminar
  33. Ser poeta não é só escrever
    versos, mas senti-lo, como
    você, antes de dizer.

    Beijos, meu anjo. Beijos.

    silvioafonso


    .

    ResponderEliminar
  34. Oi Larissa
    É tão bom ser criança, eu fui criada no interior imagina que nossa turminha fazia.Mas o tempo é ingrato, passa rápido, você envelhece, adoece e morre.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  35. Oi Larissa,
    Eu também adorei sua poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  36. Belo poema , Larissa ! Quem dera poder voltar a ser criança ! tua poesia trouxe doces recordações . E a imagem faz viajar na imaginação . Abraços . Bom final de semana .

    ResponderEliminar
  37. Já me não lembrava da Minha Crianciçe...
    Mas lendo este Belo Poema cheguei lá. Obrigado.
    Alberto Santos.

    ResponderEliminar
  38. Boa noite!
    Já foi possível organizar a participação de hoje e com uma novidade, quem participa pela primeira vez, com uma linda poesia é aluna Vanessa Oliveira .
    Mais uma jovem apaixonada por poesia.
    O link da nossa participação. https://bibliotecamadre.blogspot.com.br/2018/03/28-edicao-do-poetizando-e-encantando.html
    Parabéns pelo sucesso da sua participação que está maravilhosa! Esta BC vem encantando o mundo poético e fazendo com que adolescentes como a Vanessa já se arrisque a escrever e sentir o prazer em postar a sua poesia. E assim começa a nascer mais uma poetisa!
    Abraços

    ResponderEliminar
  39. https://poemasdaminhalma.blogspot.pt/
    Oi Larissa, poetizou e encantou! Excelente poema..criança que quero ser, quero paz no meu jardim. Amei!
    Beijinho e bom Domingo.
    Luisa Fernandes

    ResponderEliminar
  40. Obrigado por sua visita! Também gostei do seu blog, a canção de fundo realmente relaxa e traz uma ótima sensação. ;)

    Blog: O Planeta Alternativo

    ResponderEliminar
  41. Eita Larissa!
    Além de escolhermos a mesma imagem, nosso pensamento foi voltado para a infência, época boa, sem maldade e muito amor.
    Parabéns!
    Bom domingo de luz e paz!
    “Não acredite em tudo que ouvires! Há mentiras que sempre serão ditas, e verdades que jamais serão pronunciadas...” (Eliane Azevedo)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/2018/03/divulgacao-cultural-40-28-poetizando-e.html

    ResponderEliminar
  42. Num ritmo lindo Larissa fez me lembrar da Lira dos vinte anos.
    Uma beleza sua inspiração e construção desta.Perfeita e bela sua participação.
    Um bom domingo para uma semana maravilhosa.
    Meu terno abraço amiga.
    Beijo de paz.

    ResponderEliminar
  43. Lindos versos e vejo aqui a mulher de pedra dormindo cercada de plantas, talvez de alguns ramos que brotem após a queda e o corte desse machado e serra que fere a natureza. Linda participação, seguindo vc

    ResponderEliminar
  44. Oi Larissa
    O munda anda carente dessa espontaneidade de criança que usa os elementos ao seu dispor para dar vida aos sonhos
    Oh que saudades dessa fase tão doce!
    Belíssima poema minha querida
    Beijos e um feliz domingo

    ResponderEliminar
  45. Poetou muito bem! E, como é bom ser confiante e sonhador como uma criança...
    Abraço neste domingo

    ResponderEliminar
  46. Ola, querida Larissa!
    Quem me dera, poder ser, outra vez a criança
    Que brincava segura numa quimera imaculada...

    Assim era e sou eu... muito bonitos estes versos!
    Seja feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm de paz e bem

    http://espiritualcartadeamor.blogspot.com.br/2018/03/o-amor-imprime-marcas.html

    ResponderEliminar
  47. Num ritmo lindo Larissa fez me lembrar da Lira dos vinte anos.
    ไพ่ออนไลน์
    Gclub

    ResponderEliminar
  48. lindíssimo o eu poema Larissa :)
    fresco como a aragem da primavera !

    deixo o soneto de Fernando Pessoa,
    que também relembra a nostalgia da infância,
    beijinhos amiga
    Angela

    A criança que fui chora na estrada

    A criança que fui chora na estrada.
    Deixei-a ali quando vim ser quem sou;
    Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
    Quero ir buscar quem fui onde ficou.

    Ah, como hei-de encontrá-lo? Quem errou
    A vinda tem a regressão errada.
    Já não sei de onde vim nem onde estou.
    De o não saber, minha alma está parada.

    Se ao menos atingir neste lugar
    Um alto monte, de onde possa enfim
    O que esqueci, olhando-o, relembrar,

    Na ausência, ao menos, saberei de mim,
    E, ao ver-me tal qual fui ao longe, achar
    Em mim um pouco de quando era assim.

    ResponderEliminar
  49. Maravilhosa inspiração Larissa, a alma entoando a saudade do tempo que passou, no sorriso da menina a brincar no reino encantado. Parabéns pela sua participação!!!

    Abraços e boa semana!
    Nick

    ResponderEliminar
  50. Por vezes, queremos o impossível.
    Beijinho Larissa.

    ResponderEliminar
  51. Me gusta tu blog.
    Te paso mi blog.
    Por si deseas visitarlo.

    https://anna-historias.blogspot.com.es/2018/03/tal-vez.html?m=1#comment-form.

    Gracias.
    Besos

    ResponderEliminar
  52. Que ternura de poema.
    Quantas saudades do meu tempo de criança.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar