quarta-feira, 29 de maio de 2019

Palavras sentidas que ( nunca ) escrevo.


Não sou músico, nem cantor
Nem alguém que a isso se atreve
Apenas uma pessoa que coloca amor
Nas simples palavras que escreve
*
Escrevo alegria, por vezes tristeza
Apenas porque algum dom existe
Mas sempre com uma certeza
Sou em tudo alegre, nada de triste
*
Escrevo por vezes uma frase completa
Nos meus escritos, que digo poesias
Mas será que sou mesmo poeta
Talvez ... digo eu …Tenho dias
*
A verdade é que escrevo o momento
Se estou triste, alegre, cansado
Mas nunca escrevo no tormento
Porque vivo pela poesia, enamorado
*
Se calhar sou como o leve vento
Que passa dentro do seu compasso
Escrevo o que me vai no pensamento
Mostrando por vezes certo cansaço
*
Pensando, se calhar até sou cantor
Só não sei, se numa voz ritmada
Canto com tanto carinho e amor
Que no fim não canto mesmo nada
*
Ficam as linhas de certa emoção
De tinta negra, momentos que senti
Que me saem do fundo do coração
Escrevendo sempre a pensar em ti

***
autor: gil antónio
*

29 comentários:

  1. Tal como o poeta... escreve e bem o que lhe vai na alma e eu gosto!!! Bj

    ResponderEliminar
  2. Que poema lindo!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  3. Um poeta assim é! Linda poesia! abraços, chica

    ResponderEliminar
  4. Bom dia meu querido. Bem, este poema está repleto de sentimento nas suas entrelinhas. Adorei. Estás em grande, como sempre.:))

    Bjos
    Votos de óptimo e feliz dia :))

    ResponderEliminar
  5. E quando assim se escreve... não há mais nada a dizer...
    Obrigada pela visita..
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  6. Muito bonito o seu poema Obrigada pelas suas palavras

    ResponderEliminar
  7. E, a escrever assim, o Gil celebra e honra a poesia e os seus frutos!
    Beijo!
    Boa terça-feira!

    ResponderEliminar
  8. Belo poema!!!
    Acho que escrevemos movidos por uma necessidade que nem nós mesmos compreendemos.
    Tenha uma boa semana!

    ResponderEliminar
  9. Não és musico, nem és cantor
    Mas bem o podias ser
    Porque ser um bom escritor
    Não é para todos, este saber
    .
    Escreves com caneta sem tinta
    Momentos e estados de alma
    É bom que o poeta não minta
    Ao dizer que a escrita acalma
    .
    Ao ler-te, não contive a emoção
    Por entender tal cansaço 
    Pois, entendeu o meu coração 
    Que devia deixar-te um abraço.

    PARABÉNS PELO SOBERBO POEMA!!:)

    Que me dera navegar pelas águas do alto mar.
    Beijos e um excelente dia

    ResponderEliminar
  10. Escrever sempre com tanto coração é o que nos liberta! Adorei o poema :)

    ResponderEliminar
  11. E quem escreve o que sente escreve sempre bem, porque a escrita só faz sentido, quando tem sentimento
    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Bonito poema que gostei de ler
    Abraço

    Kique

    Hoje em Caminhos Percorridos - Vieste-te??

    ResponderEliminar
  13. Ainda bem que decidiu escrever estas.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  14. A tua POESIA não alberga cansaço, alberga sim, vitalidade e beleza.

    Pensa em quem te apetecer, Gil, mas continua a escrever palavras sentidas como as deste fabuloso POEMA.

    Beijinhos de um Düsseldorf, onde o sol brilha como o teu coração, querido POETA:-*

    ResponderEliminar
  15. Escrever a pensar em quem se gosta sai sempre um belo poema...
    Beijo

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  17. Tenho o direito de duvidar,
    diz o poeta que não é poeta
    quem mera poder acreditar
    estou aqui pensando pudera?

    No seu fantástico poema,
    qual bem merece atenção
    mais leve do que uma pena
    será essa sua imaginação!

    Continuação de boa semana caro amigo poeta Gil António. Um abraço.

    ResponderEliminar
  18. Oi Gil,
    Quanto amor colocou nesse teu relato em forma de poesia.
    Esplêndido
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  19. Olá, Gil António

    Nem, músico, nem cantor...
    Mas as suas palavras têm a musicalidade necessária para encher o coração de emoção.

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  20. Gil!
    Você é um maravilhoso
    e sensivel poeta que nos brinda
    com sua magia de escrever.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
  21. Palavras sentidas saídas da alma do poeta que encantam o nosso coração.
    Um poema sublime.
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  22. Lindíssimo poema, como já nos habituou.
    Abraço

    ResponderEliminar
  23. Um poema pleno de autenticidade, e em jeito de confissão!...
    Mais uma inspiração notável, que adorei descobrir e apreciar por aqui!...
    Parabéns, Gil! Um grande abraço!
    Ana

    ResponderEliminar