terça-feira, 29 de outubro de 2019

O amor e a sua ausência


Meu amor

Oxalá o teu olhar volte depressa
A este sentimento que te dedico
Que o teu coração não se esqueça

Meu amor

Querendo, venha chorar em meu peito
Saiba que você tem o meu respeito
E quando sozinho, triste fico
Nada existe que meu coração fortaleça

Meu amor

Oxalá as tuas lágrimas sejam a ternura
Que o teu coração atenda esta loucura
Sofredora como se sofre na ausência

Meu amor

Cada segundo, cada minuto, cada hora
Saiba que, neste meu peito sofredor
Existe um coração que sofre e chora
Pelo regresso do:  Seu Amor

***
Autor: gil antónio

*

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Um livro ... um sincero agradecimento ...( Poetizando e Encantando )


Um livro ... um ato de bondade ... uma emoção

Olhei as folhas escritas
Por canetas, lápis talvez
Com letras tão bonitas
Que li tudo de uma vez
*
Das letras se fez um livro bonito
Ideia de uma poetisa com arte
Dando alegrias até ao infinito
É assim a poetisa Lourdes Duarte
*
Poetizando e encantando
Poemas por ler, soletrar
Onde me vou emocionando
Quando o livro abro de par em par
*
Versos, rimas, com amor escritos
Que com tanto afecto, transcrevi
Se quiser saber outros quesitos
Com amor,  clique … AQUI 


Quando numa folha se escreve
Amor, tristeza, pensamentos
À poetisa Lourdes Duarte se deve
A emoção de bonitos momentos


Simples versos escritos um dia
Escritos pela minha suada mão
Dando-me momentos de alegria
Que ficam gravados no coração

****************
Sozinho não sou ninguém. Poeticamente pouco sou. Mas do que resta da minha emoção, consigo agradecer em meu nome, e em nome da Larissa Santos, administradores, deste blogue - Brincando com as Palavras - ao blogue Filosofando na Vida, na pessoa da sua administradora, a ilustre poetisa, Lourdes Duarte, a sua genial ideia, de me/nos oferecer o miminho do livro, acima mencionado, que muito agradeço / agradecemos.


Queira receber esta rosa encarnada
Entenda-o como sendo um miminho
Que esta administração emocionada
Lhe oferece com tanto, tanto carinho

***
***
Autor: gil antónio

*

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

A criança, a chuva, a liberdade



Sinto no peito uma fina dor de saudade
Dos momentos que brincámos juntos
Onde não existia malvadez, ou tédios
Onde a chuva era o mar que nos banhava
a alma inocente, tranquila, sincera
Onde o sorriso acontecia tão inofensivo
De brincar serenamente, sem desconfiança
Em amor, sem tristeza, e sem maldade
 *
Sinto no peito uma dor que me atraiçoa
Quando quero caminhar através da noite
Iluminada pela luz das cintilantes estrelas
Onde o pensamento é uma bola de cristal,
nas fraquezas do sentimento
Outros tempos, doçura, pura união
Onde não havia dor no peito
Nem infelicidade no coração
 *
Sinto no peito uma dor intensa
Caem dos meus olhos gotas de água,
que molham o areal da esperança
Que amanhã toquem os sinos da igreja
Que os adultos sejam mesmo gente
Que sob a chuva exista a dança
Onde não exista angústia ou dor
No peito de uma criança

***
autor: gil antónio
*

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Melancolia da lágrima

~~~~
Cai a lágrima sem pedir
Num lembrança que dói
Do nada...eu vejo sumir
Um amor que se destrói
E numa nuvem escondida
Onde prendo o meu olhar
Pensativa mas convencida
Até ao mau tempo passar
No pensamento mais triste
Onde não estás...triste sina
Ao meu estado não assiste
E o meu coração se resigna
E a lágrima descontrolada
No meu rosto, deprimente
Quando olha, não vê nada
Mas sabe que está carente.
~~💧~~

⛅Autora: Larissa Santos

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Entre o mar e o sonho



Olho o mar num desejo profundo
Olho o areal da cor do malmequer
Sendo eu um viajante do mundo
Olho feliz as suas ondas de mulher
*
Areal que me envolve os pensamentos
Uma onda que esbate na fina areia
Traz-me saudade e felizes momentos
Em que recordo o teu corpo de Sereia
*
Já noite, olho o céu e a brilhante lua
Parece reflectir no mar essa voz tua
Que  ao pôr-do-sol, me apaixonou
*
Olho o luar e o feitiço do mar salgado
Onde ondulo como um barco cansado
Imaginando a sereia que nele viajou

***
autor: gil antónio
.

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Iludem-se os meus pensamentos.

~~~~
Observo a vida pela janela, olhar disperso
Perdido, num silêncio em ruído
Olho as árvores sacudidas pelo vento
Num desnudo tão feroz
Enquanto, com o meu pensamento converso
As coisas que vão fluindo
Que se vivem numa vida tão atroz
E por isso, a minha solidão faz sentido
Gosto de estar no meu canto sozinha
Mas, quero sempre, a tua companhia
Não me conformo, de vivo, um só dia
E fico sem a tua alma que me acarinha
Observo tudo o que passa à minha volta
Iludem-se os meus pensamentos
Ilusões que nascem e ficam para sempre,
Existe cumplicidade dentro de mim
Existe uma verdade que se solta
Mas atrás da minha janela fechada
Observo, penso, o que será de mim sem ti
Quando tenho a alma apaixonada.
~~💗~~
🌻Autora: Larissa Santos

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Fremente Loucura



É o teu corpo uma pérola encantada
Que ateia os meus impuros desejos
Esse teu olhar de mulher apaixonada
Em que molhados são os teus beijos
*
Deito-me por entre sonhos sem fim
Atestando o teu sereno adormecer
Sendo tu o elixir que vive em mim
Só teu corpo me sabe enlouquecer
*
Toda a minha mente é viva emoção
De inebriantes carinhos e sensações
Que ondulam dentro do meu coração
Como no teu flutuam as indecisões
*
Exalo o aroma de uma rosa encarnada
Tendo o teu corpo um perfume sedutor
Caindo o suor numa sedução cansada
Pelos nossos gemidos de louco amor
*
É teu olhar um fogo inflame de prazer
E os teus lábios um oásis de frescura
Na fragilidade da tua pele quero viver
Este meu sonho em fremente loucura



***
autor: gil antónio
*

domingo, 13 de outubro de 2019

Metáforas de amor (Poetizando e Encantando)

100.ª Edição do Poetizando e Encantando

 
~🍀~
Neste centenário das nossas quimeras
A festa mais esperada
Todo o evento era pensado
Todos os sentires num frenesim
Onde a magia era intensa
Desejando o tão esperado centenário
Onde nascem novas primaveras,
Estava apaixonada
Desejando tanto a chegada da festa
Não digo que não
Qualquer sentimento meu se manifesta
~*~
Enlaças-me os teus braços à cintura
Beijas-me... loucamente
Levas os meus sentidos à loucura
Num redopiar de carinho que se sente .
~*~
O azul celeste, acetinado, do meu vestido
O cheiro do teu inebriante perfume
Nossos olhares, que do nada, dizem tanto
Numa cumplicidade de quem vagueia comigo,
Tudo isto são desejos cumpridos
Somos eternos enquanto a vida durar
Enquanto este nosso poetizar
For o nosso... e o vosso encanto
Que se prolongue então carinhosamente
Por cá, e por lá...além fronteiras
Neste centenário das mais belas brincadeiras.
~~🍀~~
Autora: Larissa Santos
......................................................................


Correm as águas por entre o arvoredo
Livres, felizes, do nascer ao sol-pôr
Tocam as margens onde não há medo
De as águas transbordarem de amor
*
Silêncios, nobres viagens, sussurrando
Infinita frescura, sensações de solidão
Correm os rios, os caudais engrossando
Molhando de carinho qualquer coração
*
Caudal que corre ao sabor da tormenta
Calma, revoltada, quando se desorienta
Corre a água, regando a planície divina
*
Mostra-se poderosa na sua viagem amiga
Tirando a sede a quem a maltrata e fustiga
Causando-lhe por maldade sujeira e ruína

***
autor: gil antónio
*


 É com todo o gosto, carinho e amor poético, que o blogue Brincando com as Palavras, se associa e aceita o convite formalizado no blogue Filosofando e Encantado, da ilustre poetisa, profª Lourdes Duarte, que pode (e deve) visitar, clicando »»» AQUI 


Poetizando, e nos entretantos
Encantando, no amor que tem
PARABÉNS da Larissa Santos
E do gil antónio ... também
.........

Que as águas se transformem em Carinho, Paz, Amor, e inundem o seu coração.
( Brincando com as palavras )

Imagem relacionada

Nós, oferecemos-lhes flores, para vos perfumar o resto da semana. Sejam felizes.

Agradecemos os miminhos  com muito carinho. 
 

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Folhas amarelas de Outono



Caem as folhas em sentidos diferentes
Espalham-se pelo chão, frias, amarelas
Formam um tapete de luz, conscientes
Das suas tonalidades tão doces e belas
.
O tronco fica pesaroso por ter sofrido
A erosão do tempo agreste, molhado
Sabendo que as folhas o deixam ferido
Por caírem deixando-o nu, desolado
.
Têm as folhas a cor do gracioso ouro
Fazendo o vento que caiam aos poucos
Deixando no solo um bonito tesouro
Que atenua o abandono dos troncos
.
É a natureza mudando a sua linda cor
Terminando a Primavera sem queixume
Deixando pelo chão uma áurea de amor
Dando a quem passa delicioso perfume
.
É o Outono que chega de uma forma sã
Ventos, chuva, belas formas destímidas
Mostrando-nos em cada esfriada manhã
Que chega dando ao mundo novas vidas
.
Voos de amor que as folhas amareladas
Dão ao chão aroma e de beleza, conforta
Mostrando que a vida são exíguos nadas
Onde a bela natureza nunca estará morta
.
Que resida no coração do ser humano
A fim de que a amor seja puro, perfeito
Aquela afeição e amizade pelo Outono
Fazendo dele fino amor dentro do peito

***
Autor: gil antónio

*

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Sinto que nas nuvens estão ausentes |Poetizando e Encantando|

~~~~
Vagueio ao sabor dos belos tempos
Onde sobre as nuvens me imagino
Sonho contigo, todos os momentos
Deixo-me ir, até acordar no destino
Sinto que nas nuvens estão ausentes
Dou o meu abraço às que me sobram
Aconchego com carinho e não sentes
Mas acredita, os meus olhos choram
Sentir-me-ia triste se sentisses solidão
E se não te esperasse de coração cheio
Neste turbilhão de nuvens em algodão
Perdida d'amores, neste meu devaneio
~~🌝~~
🌷Autor: Larissa Santos

 
Palavras para quê? Estamos no Poetizando 99, lindo numero, ansiando pelo centésimo. É com muito gosto, que de forma simples me associo à brincadeira. Que tornou uma "tertúlia" de poetas. Convém referir o Blogue da Professora e Poetiza Lourdes Duarte.

 Resultado de imagem para flores de outubro Imagem relacionada
Não só em Outubro, mas sempre! Palavras para quê? Bom fim-de -semana.

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Sorrindo



Não sou nada, Não sou ninguém
Não cuido da minha aparência
Caminho por becos escuros
Só olho em frente
Não reparo que por mim
se cruzam pessoas
bem dispostas, inteligentes
indiferente
Olho o horizonte,
Perdido entre a vida
e o sentimento
Por vezes bebo até cair
Busco o álcool que me queima
A alma e dilacera a mente
Sei que por vezes pareço um santinho
Outras um demónio
Que a mim próprio enlouquece
Sei que não parece
Olho o espelho e digo
mentindo
és um gajo lindo
embaça o vidro envergonhado
nem me responde, embaraçado
 e assim, saio para a rua
sorrindo

***
Autor: gil antónio.
*

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Amar ao entardecer


Recordo os momentos em que nos beijámos
Onde as promessas de amor eram trocadas
Lindos momentos que juntos passámos
Onde as emoções eram promessas juradas
*
Afectos, abraços, sorrisos, beijos inflamados
Sendo o vento a única testemunha presente
Quando os abraços eram por amor, apertados
E os nossos desejos, era lava incandescente
*
Momentos iluminados como é a luz do verão
Chegava o entardecer nas batidas do coração
Divertidos, jurávamos em cicio, o nosso amor
*
Sentia-se no ar uma luz suave em fina chama
Que acariciava o coração de quem tanto ama
Onde o nosso afecto era êxtase em esplendor

***
autor: gil antónio
*