quinta-feira, 19 de julho de 2018

Das cartas que eu nunca te enviei.

 Imagem relacionada
💬
Das cartas que eu nunca te enviei
Mas que um dia escrevi
Prometi ao meu coração
O porquê, não sei,
Sei que trago no peito uma dor
Uma dor, sem explicação
Talvez seja saudade, eu sei lá,
Sei o que sinto, é amor
Um amor com limitação
Mas incondicional
De verdadeiros sentimentos,
Está escrito naquela carta guardada
.
Podem passar cem anos, não esqueço
Não esqueço quem me fez crescer
Quem me deu a mão
Quem me enxugou as lágrimas
Quem me amparou
Quando talvez eu quisesse desistir,
Alguém não deixou
E das palavras que mais me marcaram
Tenho-as como amuleto
Tiro delas, a força para viver
E continuar a escrever
Enquanto simplesmente...O tu e eu, existir.

💝💬


🍀Autora:Larissa Santos.

55 comentários:

  1. Soberbo poema.
    Nada há igual a uma mão amiga.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Maravilhoso poema!
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  3. Oi Larissa, bom dia!
    Quem nunca escreveu e deixou de enviar uma carta, que se apresente! kkk. Lindo poema!
    Aproveito p/desejar um ótimo regresso p/o Gil.
    Bjsssss amiga e que vcs tenham um maravilhoso e abençoado dia é o que desejo

    ResponderEliminar
  4. Vim pela primeira vez...
    Cartas de amor...
    Quem as não tem...

    Mais do que a forma (linda!)...
    Importa o que se sente da forma como escrevemos...
    E sente-se o sentimento...
    O amor...

    ResponderEliminar
  5. Cartas de amor serao eternas e muitas das vezes fazem com que nos apoiemos nelas para minimizar as nossas saudades. Bjs Larissa

    ResponderEliminar
  6. Mais um maravilhoso poema que nos ofereces ler!! Amei!

    Beijos e um excelente dia!

    ResponderEliminar
  7. Peço a vossa compreensão:
    Comentários que explicitamente peçam retorno para comentar as vossas publicações deixarão de ser publicados.

    Salvo alguma falha, gosto sempre de comentar ou retribuir a quem me comenta, dentro das minhas disponibilidades de tempo.
    Grata.

    ResponderEliminar
  8. Lindo Larissa!
    Como sempre, este cantinho poético me encanta.
    Obrigada pelas partilhas!
    Beijo com carinho.

    ResponderEliminar
  9. Um excelente poema, uma linda homenagem, e uma declaração de amor incondicional. Gostei.
    Abraço

    ResponderEliminar
  10. As cartas são a forma mais interessante de comunicar mas ... com a sabedoria de as palavras ditas não voltarem atrás!
    Adorei ler ... bj

    ResponderEliminar
  11. Seu poema é uma verdadeira canção de amor amiga Larissa!
    Lindo demais.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde Larissa! Escrever é uma forma de expressar os sentimentos, as palavras ficam guardadas como um tesouro no baú das recordações.Lindo poema, parabéns.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Um poema com amor infinito...
    Obrigada pelos parabéns por lá...
    C carinho

    ResponderEliminar
  14. E assim se lê a voz do coração. Pura melodia em versos de amor.

    Bjo

    ResponderEliminar
  15. Muitas vezes os olhos revelam aquilo que a boca não diz.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Deixai jorrar as confissões. O Outro saberá ouvi-las e compreende-las.
    beijos,

    ResponderEliminar
  17. Cartas, pena que já não se escrevem hoje em dia! Lindo poema. :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  18. Há sempre cartas que não enviamos e ficam vivas no tempo...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  19. Lindo, o amor é sempre lindo e romântico, instiga em escrever, se não, as cartas como eram antigamente, mas agora bem assim, com belos poemas que registram tal rico sentimento!
    Amei ler!
    Abraços apertados!

    ResponderEliminar
  20. Se o amor é limitado como pode ser incondicional?

    Essa fundo musical é lindo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Limitado so ponto de vista do gênero, mas a partir da opção (mulher, homem, lgbt etc, etc, etc), o céu é o limite....
      Abraços, Larissa.
      Ps. A beleza de sempre.

      Eliminar
  21. Oi Larissa, as palavras ditas sempre serão uma dúvida, uma escolha. Linda música!
    abraço!

    ResponderEliminar
  22. Isso é, mesmo, muito bonito,
    como você escrever bem sabe
    das duas palavras não duvido
    bem escritas com sinceridade!

    Tenha uma boa noite e bons sonhos.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  23. Há pessoas que ficam para sempre, assim como as palavras. Porque guardam muito do que somos e muito da nossa história.
    Gostei do poema :)

    r: Muito obrigada! Sim, sem dúvida

    ResponderEliminar
  24. Poema excepcional
    Bjs

    Hoje em Caminhos Percorridos - CORAÇÃO PARTIDO

    ResponderEliminar
  25. Oi Larissa, td bem?
    Que poema belíssimo e delicado! Muitas coisas passam, mas o amor que sentimos por alguém permanece, mesmo que adormecido em nosso coração.
    Te desejo uma ótima semana!
    Bjs

    ResponderEliminar
  26. Belo poema, de beleza ímpar, Larissa, bom dia, um teno abraço da Luiza.

    ResponderEliminar
  27. Bom dia Larissa, um imenso amor é como raios do sol,intenso e belo!
    Grande e bem versado poema!


    Bueno, Ester, aquí todavía vivimos el invierno, el clima es tropical y no tenemos frío, Gracias por tu amable visita.
    Votos de un día feliz con mucha paz.
    Bjss!otos de um dia feliz!
    Bjss!

    ResponderEliminar
  28. Olá,
    menina que emoção ler este belo poema e ouvir essa música lindíssima.
    Voltei ao tempo de outras encarnações. Pois nessa vida ainda vivo aquela paixão.
    Bjos tenha uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  29. Olá, Larissa.
    Um lindo poema. Pena que nos dias de hoje não se escrevam mais cartas...

    ResponderEliminar
  30. Bela poética sobre um amor imorredouro! Ficou sensacional, Larissa. Parabéns, amiga, e um cordial abraço.

    ResponderEliminar
  31. Magnífico poema.
    Parabéns pela inspiração.
    Amiga Larissa, continuação de uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  32. Boa noite, querida amiga Larissa!
    O Amor tem a incondicionalidade embutida... sinto assim também.
    Muito bonito esbanjar palavras pois elas nunca dizem tudo... por mais que digamos.
    Tenha dias felizes e abençoados!
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  33. INFORMAÇÃO
    Tal como tinha anunciado acabo de publicar mais um episódio, o oitavo, da saga É DIFÍCIL VIVER COM UM IRMÃO MONGOLÓIDE que desta feita tem como título... "Empernanço de pestana"... Com este texto a acção entra de raspão na guerra colonial e ainda na ida do primeiro homem à Lua. Uma vez mais alerto para imagem que pode impressionar as/os mais sensíveis.


    Volto depois para comentar.


    ResponderEliminar
  34. Olá, Larissa, as cartas que a poeta escreveu, mas não as colocou no correio, ou não as enviou por e-mail, não foram escritas em vão, essas cartas, nas mãos da poeta tornam-se poemas.
    Parabéns, minha amiga.
    Uma boa semana,
    Beijo
    Pedro

    ResponderEliminar
  35. Oi Larissa,
    Adorei sua poesia
    Uma lamúria deliciosa
    Amor é assim sem limites
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  36. Palavras ao vento, guardadas no entanto numa carta, no coração que anseia ser lido e entregue ao amor

    ResponderEliminar
  37. Linda poesia amiga Larissa! E me fez voltar no tempo. Quantas cartas escrevi e guardei sem coragem de enviá-las a quem deveria! Linda! Abraços

    ResponderEliminar
  38. Poema cheio de intensidade de sentimentos, amei!
    Feliz dia do amigo, beijos!

    ResponderEliminar
  39. O que guardamos é fruto do que sentimos; muitas vezes não tomamos a iniciativa de fazer conhecer o que é bem nosso.
    Belo Poema.


    Beijo
    SOL

    ResponderEliminar
  40. Sempre uma pergunta: Para onde vão as palavras que não foram ditas, os beijos que não foram dados? Talvez guardadinhos nas gavetas do coração.

    ResponderEliminar
  41. Palavras plenas de um amor incondicional.
    Magnifico poema
    Beijinhos
    Maria
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  42. Podem mesmo passar cem anos que um verdadeiro amor nunca se esquece.

    ResponderEliminar